Principais Tendências Para o Varejo Alimentar

3 minutos para ler

As tendências para o varejo alimentar são baseadas em dois pontos principais: evolução da tecnologia e a pandemia do coronavírus. A segunda, no entanto, serviu para acelerar algumas tendências, como o aumento das compras online e drive-thru (não apenas de comida pronta, mas outros produtos). 

Para se manter alinhado às novidades e tendências do setor alimentar, neste artigo você vai entender melhor sobre:

  • o crescimento do delivery no varejo alimentar;
  • experiências híbridas e atendimento rápido;
  • automação no varejo.

O crescimento do delivery no varejo alimentar

Segundo pesquisa feita pela Ebit/Nielsen, só no primeiro trimestre de 2020, ainda no começo da pandemia do coronavírus, as vendas on-line aumentaram 47%. Essa é uma tendência não apenas para o varejo alimentar, mas para muitos outros segmentos. 

O delivery está se dissociando a exclusivamente restaurantes, mas o principal desafio das empresas será trabalhar tanto on-line quanto offline. Será fundamental saber trabalhar nos dois âmbitos. Um exemplo é o anúncio de promoções iguais tanto no canal digital, quanto no ponto comercial físico.

Experiências híbridas e atendimento rápido

Quando o cliente realiza uma compra pelo site ou aplicativo de uma loja ou restaurante para retirar na unidade física, é uma experiência híbrida. E essa é uma das tendências do ramo alimentar. Ela proporciona um atendimento mais rápido e confortável para o cliente. 

Além da experiência híbrida, o “levar para casa” (take out) também segue em crescimento no comércio alimentar. Algo que a pandemia levou para muita gente foi o costume de não consumir mais produtos no local, além das compras em casa ou drive-thru. Por isso, o comércio que investir nesse tipo de experiência, terá melhor desempenho na competitividade no mercado

Sem tecnologia e automação não existe atendimento rápido, assim, outra tendência que o varejo alimentar deverá seguir é o da união do físico com o digital. 

Automação no varejo

Além de atendimento e venda on-line, considerando sempre a boa experiência do cliente , a empresa deverá ficar de olho nos processos de automação. Exemplos são sistemas e sensores capazes de indicar quando há a necessidade de reposição de produtos nas prateleiras. 

Por fim, a experiência omnichannel também é um movimento que veio pra ficar. 

A ideia do serviço é permitir com que o cliente leia os códigos dos produtos pelo celular, fisicamente, e uma cesta virtual seja criada para que ele possa pagar pelo próprio smartphone. Assim, após sair o comprovante do pagamento, o cliente apresenta para um atendente na loja física e coloca os produtos no carrinho físico. 

Agora que você já sabe algumas das principais tendências para o varejo alimentar, aproveite e confira o artigo do blog do Economapas sobre Tendências de Consumo para 2021

Posts relacionados

Deixe um comentário